Dodge Dart

O Dodge Dart Nacional

O Dodge Dart nacional foi lançado em 1969, era fabricado até então, somente na versão Sedan de quatro portas e a partir de 1970 também na versão Coupé de duas portas. Apresentava linhas retas com uma grade larga que abrigava dois grandes faróis, tinha muitos cromados e o vidro traseiro côncavo, sendo eleito o "carro do ano" de 1970, segundo a revista Auto Esporte - principal publicação especializada da época.

Apesar das grandes dimensões (posicionado entre o Chevrolet Opala e o Ford Galaxie), o espaço interno não era tão grande para seis passageiros. Mas seu principal atrativo era seu desempenho, proporcionado pelo motor 318 V-8 de 5.212 cm³ (5,2 litros) de 198 hp de potência máxima a 4.400 rpm e torque de 41,5 kgfm a 2.400 rpm sendo movido à gasolina comum, permitia ao veículo desenvolver mais de 180 km/h, fazendo o Dart tornar-se o mais veloz carro brasileiro de produção em série.

Mesmo com toda sua robustez, tem funcionamento suave disponibilizando alto torque mesmo em baixa rotação. Este motor foi projetado nos EUA em meados de 1960, derivava dos caminhões e utilitários da linha Dodge, os modelos D-100 e por isso tem uma resistência incontestável, chegando a equipar até mesmo caminhões Volkswagen na década de 1980. Durou até o fim dos anos 1990 aqui no Brasil com o modelo Dodge Dakota, mas já com injeção eletrônica e cabeçote reprojetado, desenvolvendo 232 cv de potência máxima.

O Dodge Dart foi o modelo-base na linha V-8 da Dodge no Brasil para os outros modelos fabricados: Gran Coupe, Gran Sedan, SE, Charger, Magnum e Lebaron. que mudavam seu estilo e o acabamento conforme seu propósito. Era concorrente direto no setor de luxuosos do Ford Galaxie e os esportivos Ford Maverick GT e Chevrolet Opala 250-S. Seu ponto fraco - como a maioria dos antigos motores V-8 - era o alto consumo que fazia em média 4 a 5 km/l, agravados pela baixa autonomia, pois o tanque tinha capacidade de apenas 62 litros.

Foram fabricados até 1981, quando sua produção foi interrompida. Com a crise do petróleo e as vendas escassas por seu alto consumo de combustível, o Dodge Dart teve uma desvalorização absurda, chegando a ter o preço - no mercado de usados - inferior ao de outros automóveis de menor cilindrada. Neste mesmo período a Volkswagen adquiriu o restante das ações da fábrica brasileira, parando de produzir ali automóveis, aproveitando porém os motores V-8 em sua linha de caminhões utilitários.

O Dodge Dart foi um marco muito importante na história de nossa indústria automobilística e por este motivo, até hoje é um modelo bastante cultuado pelos colecionadores, como um verdadeiro clássico.

Por: William A. Furlan


« Voltar